Como aprender a velejar com 7 passos simples e curtir as férias

Férias na praia são sinônimo de descanso, mas também podem ser uma oportunidade para começar a praticar novos esportes. E não estamos falando de surf, corrida ou ciclismo, mas sim de um dos esportes que mais rendem medalhas ao Brasil nas Olimpíadas: a vela.

Velejar é saber usar o vento, a maré e o mar a seu favor. É uma prática que pode ser feita por qualquer pessoa e em qualquer idade e que nos deixa mais próximos à natureza. Um barco a vela não utiliza motor e, por isso mesmo, acaba atraindo milhares de apaixonados pela prática.

Para quem deseja aprender a velejar, separamos 7 dicas simples que dão conta dos principais pontos que um velejador iniciante precisa saber. A primeira nós já contamos em outra publicação, sobre o processo para tirar carteira de habilitação para barcos. Agora confira os outros passos e boa viagem!

1. Tenha um tutor

É claro que na internet você encontrará diversas informações muito úteis sobre velejar, mas para ter confiança e segurança é fundamental que você tenha um tutor, alguém que tem conhecimento teórico e prático sobre o barco a vela e que possa te auxiliar nesse começo.

Procure uma escola especializada que te apresente aos diversos tipos de barcos, técnicas e vocabulário, afinal, para aprender a velejar também é importante saber o que significa “bombordo” ou “sotavento”.

2. Classes de velas

Os barcos a vela são divididos em diferentes classes, que variam de acordo com a embarcação ou o tripulante. Para crianças entre 7 e 15 anos, o ideal é a classe Optimist.

Já para adultos, a classe Laser é a mais popular, sendo também o tipo de barco mais utilizado por atletas olímpicos. E, se a ideia é levar mais pessoas, o Day Sailer é maior, mais forte e mais resistente, ideal para um passeio em família, por exemplo.

Há ainda uma série de outros veleiros específicos para diferentes práticas, já que a embarcação ideal é aquela mais confortável ao seu tamanho.

3. Equipamentos indispensáveis para aprender a velejar

No início é natural se sentir um pouco inseguro em um barco ao mar. Por isso, botas antiderrapantes e luvas de neoprene são bons companheiros quando se está aprendendo a velejar.

Além disso, lembre-se de que você pode ficar um bom tempo embaixo do sol. Nesse caso, você deve optar por uma blusa leve e de manga comprida, boné ou chapéu e óculos escuros. O uso de filtro solar é muito recomendado.

Leve também muita água potável Recomenda-se calcular aproximadamente 1 litro de água para cada hora velejando, evitando que você fique desidratado e tenha dores de cabeça depois.

Outro equipamento que faz parte dos barcos e que precisa de atenção é o leme, responsável por ajudar a mudar a direção para bombordo (o que está à esquerda da navegação) ou para estibordo (o que se encontra à direita da navegação).

Por fim, o equipamento de segurança mais importante de todos: tenha sempre um colete salva-vidas para qualquer atividade que for realizada no mar.

4. Saiba onde está “pisando”

Essa frase pode parecer estranha, mas não é. Para aprender a velejar é preciso, também, conhecer o ambiente em que você vai colocar seu barco.

Saber como é a praia, quais os horários em que tem mais ou menos gente, quando a maré sobe ou desce e, principalmente, como são as ondas são conhecimentos básicos para os velejadores.

5. Entenda os ventos

Os veleiros não têm motor, ou seja, são movidos apenas pelo vento em suas velas. Por isso mesmo essa é a dica mais importante para aprender a velejar: você precisa conhecer os ventos. Pode parecer papo de meteorologista, mas quando dependemos da natureza o ideal é estarmos preparados ao máximo.

A ideia de que o vento bate nas velas e, com isso, empurra o barco, só é válida quando se está navegando a favor dos ventos.

Mas nas outras situações (que são a maioria delas) é preciso saber regular as velas para o ar fluir pelos seus dois lados. A diferença de pressão entre os lados da vela é o que impulsiona o barco para frente.

Por isso é preciso saber, por exemplo, de onde os ventos vêm, quais suas velocidades, quais as massas de ar são mais adequadas para velejar. E essas são algumas perguntas que precisam ser respondidas antes do próximo passo:

6. Conheça os tipos de vela

Se entender os tipos de vento é importante para velejar, conhecer quais são as velas e suas amarrações também entra no pacote. Hoje há dois tipos disponíveis, sendo uma para velejar na mesma direção do vento (vela “balão” ou spinnaker), e uma para navegar na direção transversal ao vento (vela latina ou genoas).

Uma das mais importantes lições ao aprender a velejar é também aprender como fazer a amarração das velas. Para velejar a favor dos ventos, por exemplo, basta formar um ângulo de 90º entre as velas e a direção do vento, de forma que ela não quebre a massa de ar ou, ainda, para não interrompê-la.

7. Por fim, não tenha medo

Aprender a velejar é muito divertido e vai tornar suas férias inesquecíveis! Há muitos velejadores que começaram a prática por hobby e hoje estão até mesmo competindo internacionalmente.

O litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro é repleto de praias e represas que podem ser grandes aliadas para quem está começando a se aventurar pelos esportes aquáticos, então aproveite.

Estude bastante e treine em lugares onde você se sinta mais seguro. Procure conversar com outros velejadores para descobrir quais dúvidas eles tinham quando começaram a aprender. Busque dicas e informações na internet e sempre tire suas dúvidas antes de entrar no mar.

Nós já contamos que viajar para praia ajuda a combater o estresse, então aproveite que o calor está chegando para relaxar e viver essa nova experiência, que pode ser o programa ideal para as próximas férias!

E se você gostou das nossas dicas então curta a nossa página no Facebook para não perder nenhum outro post.