Praia com bebê: é possível viajar e curtir muito sim!

Aqueles que acham que a maternidade impede de viajar e de ter um momento especial em família estão equivocados. Para alguns, por exemplo, praia com bebês é algo que não combina.

Claro que é preciso ter certos cuidados — porém, nada que não possa ser resolvido. Além do mais, passear com o pequeno vai criar memórias exclusivas, que inclusive fortalecerão os laços entre os pais e o neném.

Para entender melhor o assunto, esclarecemos as principais dúvidas pertinentes sobre viagens com filhos pequenos para a praia. Continue a leitura e acabe de vez com os seus principais questionamentos:

Quando posso levá-lo à praia?

Essa é uma das principais questões que pairam na cabeça dos papais e das mamães. Afinal, eles querem poder curtir um dia com os pequenos sem ter medo de acontecer algo grave.

Então, saiba de antemão que a partir dos 6 meses já é permitido, levando em consideração — é claro — cuidados com a pele, com a higiene e com a alimentação do bebê.

Inclusive, segundo pesquisa realizada pelo site Crescer, 52% dos pais afirmam que levaram a criança para brincar pela 1ª vez na área quando ela tinha entre 6 meses e 1 ano.

Qual é o horário mais recomendado?

Outro ponto importante é se atentar em relação ao horário. Antes, se era possível passar um dia todo aproveitando o sol e o mar, agora, com a companhia do bebê, o cenário muda (e muito!).

Se ficar exposto ao sol nos horários mais fortes é prejudicial para um adulto, imagine o quão pode ser perigoso para o neném, que ainda é frágil?

Por isso, o mais indicado é ir à praia no início do dia, em torno das 8h, ou no finalzinho da tarde, como às 17h. Em hipótese alguma exponha o pequeno ao sol no período entre 10h e 16h, momento em que as temperaturas são mais elevadas.

Mas não é só isso: é preciso se preocupar, ainda, com o tempo de exposição. Para bebês que ainda não completaram 12 meses, o mais indicado é passear com eles na praia por no máximo 30 minutos. Além do mais, opte por períodos que o local esteja mais vazio e tranquilo.

Existe uma roupa adequada?

Acredite: deixar o seu neném confortável, abrindo mão de quase toda a roupa é o caminho certo. Como nos demais momentos, a fralda não pode faltar.

Se quiser, também pode colocar uma blusinha de algodão, dando preferência para tons suaves e tecidos mais finos. Mas essa atitude só é necessária quando o pimpolho tem a pele muito clara.

Outro acessório que pode ser bem útil é um chapéu, para evitar que o sol bata diretamente no rosto dele.

Vale destacar a importância de passar protetor solar — por mais que a intenção seja ficar na praia apenas alguns breves minutos. Atenção a esse aspecto: essa alternativa é válida apenas para bebês que têm mais de 6 meses, combinado?

E não cometa o erro de deixá-lo entrar em contato com a areia sem nenhuma roupinha, pois isso facilita o surgimento de micoses e de infecções.

Ainda sobre a questão da vestimenta, o ideal é colocar um maiô apenas no momento que ele for entrar na piscininha. Depois, coloque novamente a fralda.

O que devo levar de casa?

Por mais que alguns lugares tenham uma infraestrutura impecável, como as praias de Búzios, é melhor não contar sempre com a sorte.

Por isso, é fundamental levar de casa os alimentos e as bebidas do seu pequeno. Nem precisa dizer que água é um item indispensável, não é mesmo?

Frutas, sucos naturais e refeições mais leves também são indicadas. Vale destacar, nesse aspecto, a importância de carregar sacolas térmicas, que vão manter a temperatura das comidas e das bebidas.

É importante evitar alimentos comercializados em barraquinhas e por ambulantes em geral, uma vez que você não sabe a procedência do alimento em questão. E como já dizia o ditado: “melhor prevenir do que remediar”. Assim, o bebê não corre o risco de ser contaminado.

Ainda sobre a questão da prevenção, que tal levar uma toalha extra? Dessa forma, caso ocorra qualquer imprevisto, você terá em mãos um novo jogo limpinho.

Acha que é só? Saiba, então, que tem mais. É importante levar também lenços umedecidos, que são fortes aliados das mamães. Afinal, eles são úteis não só para trocar a fralda, mas também para limpar as mãos e os pés do pequeno.

Não se esqueça de levar um repelente, dependendo das características do local. Mas lembre-se de que, assim como o protetor solar, o repelente não é recomendado para bebês com menos de 6 meses. Além do mais, certifique-se de que o seu filho não tem alergia com os produtos químicos que compõem o produto.

Como tornar o momento mais divertido?

O momento tem que ser divertido para todos, não é mesmo? Então, nada mais justo do que apostar em alguns passatempos para o pimpolho.

Não precisa ser nada muito elaborado. Pelo contrário: são brinquedos simples e práticos, que são capazes de encantar e de entreter os bebês. São eles: baldinhos, pás e demais brinquedos de areias.

Outra boa ideia é comprar piscininhas de plástico, completando-as com água doce. Se optar por essa alternativa, é fundamental fazer periodicamente a higienização do local. Em outras palavras, deve-se trocar a água com certa frequência.

Agora, se o seu filho já tem mais de 1 ano, não há necessidade de investir nessa alternativa, uma vez que a criança poderá entrar no mar sem problema algum.

Independentemente da idade, é preciso sempre ficar de olho no pequeno. Não o deixe sozinho nem por um instante, evitando qualquer tipo de problema. Lembre-se de mantê-lo sempre pertinho de você.

Fato é que praia com bebês é, sim, uma realidade, desde que os pais tenham as devidas precauções. Esse momento, com certeza, será especial para toda a família, gerando lembranças incríveis.

Gostou do conteúdo e quer se inteirar de alguns destinos incríveis? Então, siga a gente nas redes sociais e fique por dentro das novidades: estamos no Facebook e no Twitter!